O PÃO, MAIS ANTIGO QUE A AGRICULTURA

Adriana Arruda Aranha

Segundo o livro “Seis mil anos de pão” de Heinrich Eduard Jacob (*), o pão teria cerca
de seis mil anos, mas no último dia 17 de julho de 2018, matéria do caderno Ciência do
jornal El Pais (**) infirma a descoberta de indícios de pães de 14.400 anos em uma
pequena aldeia da Jordânia, com a presença de grãos como aveia, cevada e trigo
silvestre.
O surgimento do pão e o nascimento da agricultura estão intimamente ligados.

Fotografia: ALEXIS PANTOS. Fonte El Pais

Conforme a matéria do El Pais, “o desejo de fazer mais deste alimento especial,
provavelmente contribuiu para a decisão de cultivar cerais”.
E o livro “Seis mil anos de pão”, enfoca a importância da mulher como a principal
responsável na decisão de cultivo de grãos.
O pão foi um alimento fundamental no complemento da alimentação humana em
nossa pré-história e auxiliador na decisão do plantio e consequentemente do
surgimento da agricultura, bem como das primeiras aldeias.
O pão e a civilização cresceram juntos por muito tempo e assim continuamos após seis
mil? Quatorze mil anos?
O pão, com suas múltiplas formas, sempre fará parte da história humana.

 

____________________________________________________________________

Bibliografia:
(**) Caderno Ciência do jornal El Pais
(https://elpais.com/elpais/2018/07/14/ciencia/1531557609_401411.html) acesso em 10 set 2018

(*) Jacob, Heinrich Eduard, 1889-1967
JACOB, Heinrich Eduard. Seis Mil Anos de Pão Tradução, introdução e notas de rodapé de José M. Justo.
São Paulo: Nova Alexandria, 2003. ISBN 85-7492-095-9